ARQUIVOS DA TAG "Dia do Leitor"

11.01.2017
Sobre a paixão pela leitura – por Alana Moreira

Se alguém te perguntasse hoje o motivo de você gostar tanto de ler (caso você seja uma pessoa que ame ler tanto quanto eu), qual seria sua resposta?

Você conseguiria exprimir em palavras o sentimento que tem ao terminar de ler um livro que ama muito? O que você sente ao terminar aquela série de livros do seu autor preferido?

Estive pensando sobre isso e resolvi compartilhar as minhas respostas. Leio livros de gêneros completamente diversos e cada um deles parece me atingir de uma forma completamente diferente e singular.

Qual o significado da leitura para mim? Ela é uma forma de estar em diversos lugares, com pessoas diferentes, sem sair do lugar. Tem muitos livros que você lê e ama a história, mas é aquilo, você está o tempo todo consciente de que é uma história, você sabe que está segurando um livro, que está olhando para palavras num papel.

Entretanto, existem alguns livros específicos, que você começa a ler e vai suavemente se desconectando do mundo. As palavras formadas na sua frente na folha de papel vão sumindo, sendo substituídas por sons, muito reais. Seus pés não estão mais ali no trem indo para a faculdade, as pessoas a sua volta vão sumindo, os sons de suas vozes vão se abafando. Quando você se dá conta, você está do lado do seu personagem, ele está te contando o que está acontecendo naquele exato momento na vida dele, você presencia os acontecimentos, a angústia de estar no meio de um campo de batalha, a felicidade de estar ali no momento de vitória, rir das piadas contadas. Cada dia seu é uma viagem breve ao mundo deles, onde você tem a oportunidade de participar um pouco da vida deles.

E cada livro dessa série é como um passaporte para um mundo paralelo, tão real quanto o seu agora, onde você vai acompanhando o seu personagem, que agora é seu amigo, afinal, ele te conta tudo, até o que ele mesmo não define em voz alta para si mesmo. Ele vai virando seu amigo de anos, a cada acontecimento e realização (quando você abriu o livro na faculdade) você sorri, porque acompanhou ele desde o início. Depois de uns anos, seu amigo vai amadurecendo, alcançando seu objetivo e finalmente chegando a conclusão (feliz ou não) de sua jornada.

Então os sons voltam. As pessoas aparecem de novo ao seu redor, você volta a sentir seus pés no chão do vagão. E o seu amigo, guardado em sua mochila, volta para casa com você. Ele é colocado carinhosamente na sua estante, junto com o restante da sua história.

De vez em quando você passa por eles e lembra com uma nostalgia e saudade enorme, dos anos vividos juntos, dos longos momentos de madrugada, apenas com um abajur, onde o silêncio da noite, te ajudava a escorregar para esse outro mundo, com um frio na barriga. Onde seu amigo já te aguardava para seguir junto, nesse outro mundo.

 

Alana é carioca desde sempre, tem 22 anos, estudante de design na ESDI /UERJ e uma apaixonada por histórias, do tipo que  lê em qualquer lugar. É campeã em dobrar metas de leitura quando muita gente ainda nem saiu do primeiro livro. Colabora com o blog da Estamparia Literária uma vez por mês.